quarta-feira, 15 de julho de 2015

Easter Parade, nunca vi musical tão colorido



Não vale a pena Wizard of Oz. És um filme maravilhoso, mas Easter Parade consegue ser mais colorido que tu. E tu Singing in the rain, quase que lá chegas. Mesmo assim, Easter Parade é o musical mais colorido de entre aqueles que eu vi. As cores são muitas, se bem que o cor de rosa é a principal cor, além de que as várias tonalidades são por norma fortes, vibrantes.


A cor é importante num musical. Ponto. Não gosto que digam o contrário porque é uma verdade que pouco deve ser questionada. Eu sei, eu sei. A presença do preto e branco dá glamour ao cinema, mas, no caso do musical, a cor confere essa grandiosidade bela. Desculpa Ziegfeld Girl, mas cor é cor e tu, em modo colorido, funcionarias, provavelmente, melhor (bem nem sei, adoro esse musical em preto e branco).



E as músicas? Boas, mas, tirando a própria intitulada "Easter Parade", não são espantosas. "Happy Easter", "I want to go back to Michigan" e "Shakin' the blues away" são bastante agradáveis. A voz de Judy é excelente como quase sempre e Fred Astaire não desilude. E que dizer da maravilhosa Ann Miller. Tão adorável, mimosa. Não percebo como não se tornou uma grande estrela. Ela era a rainha dos filmes B na Columbia e conseguiu dar um passo de gigante e entrar num filme musical da MGM com dois astros do cinema. Além disso, o seu papel é bastante principal apesar de não ser protagonista.


Ann Miller


Ann Miller é melhor dançarina que Ginger Rogers e Rita Hayworth, na minha humilde
opinião. Não é tão bonita mas tem magnetismo, alegria, leveza, sofisticação. Eu adorei vê-la no filme. A minha parte favorita é, aliás, a sua dança ao som de "Shakin' the blues away". Não há nada a dar força ao seu número musical: não há bailarinos, grandes decorados. Ela apenas tem como ajuda o seu belo vestido amarelo. De resto, está por conta própria. Acontece que ela consegue segurar a cena, tornando-a soberba. Dança tão bem! Com energia e sex appeal! Realmente, Judy não faz melhor número que Ann em Easter Parade.




Falando de Judy, ela está maravilhosa em "I want to go back to Michigan". Tão querida em vestido rosa e avental branco, cantando uma canção nostálgica. "A couple of swells" é o número musical mais famoso do filme mas não o meu favorito. É divertido mas a música aborrece. Fred estava relutante em fazer o número, visto ter de se apresentar de mendigo, o que não é habitual na sua imagem, mas aceitou e esteve muito bem.




Eu adoro a Judy, mais do que qualquer outra presença no filme. Mas, para mim, é Fred Astaire quem rouba as atenções. Ele tem o charme, a graça maior do lado dele. Dança como ninguém e também não canta mal. Os números de dança entre ele e Judy deixam a desejar porque ela não é uma grande dançarina. Judy sabe dançar mas não a um nível profissional como Fred. Apesar desta "falha", o par Fred/Judy é um dos meus favoritos no cinema, e apenas fizeram este filme juntos.



Eu gosto de Gene Kelly, que fez dois filmes com Judy (For me and my Girl e Summer Stock), mas, meu deus, Fred é Fred e a simpatia dele em junção com a também simpatia dela fazem do seu único filme juntos uma alegria. E é isso que é o encanto de Easter Parade. É um musical alegre, muito alegre.




A história existe. É uma história relativamente vulgar, uma versão mais pobre de My Fair Lady, embora eu goste mais de Easter Parade do que aquele musical. Não tão vulgar assim, porque não se trata de um triângulo amoroso mas de um quadrado. A coisa é um pouco confusa: Fred gosta de Ann que gosta de Peter Lawford que gosta de Judy que gosta de Fred, sendo que este passa a gostar de Judy e, para ficarem todos felizes, Peter cede ao amor de Ann. História divertida, agradável e acompanhada por belas canções.



Eu prefiro Easter Parade a Meet me in Saint Louis, mas não considero aquele superior a este. Ao nível musical prefiro Meet me in Saint Louis e, sem dúvida, que tem canções de qualidade superior. Ao nível das performances, Easter Parade tem resultados mais elaborados, porque há mais dança. Acontece que Meet me in Saint Louis também fica a ganhar, porque as melodias estão inseridas na história, não ocorrendo em palco. Além de que revelam profundamente o estado de espírito das personagens. No que respeita à história, Easter Parade tem um plot mais recheado, onde acontecem mais coisas mas a seriedade com que Meet me in Saint Louis trata das aventuras da família Smith colocam o sue plot acima de Easter Parade. Simplesmente, Easter Parade diverte mais e, por isso, é o meu favorito.



É diversão pura, com alguma coisa a refletir (não tentar mudar a personalidade de alguém e sim, saber ver vantagem nisso) e uma química maravilhosa entre Fred e Judy. Não se vê desta química em Meet me in Saint Louis.


Eu acho o final maravilhoso, com Judy a cantar para Fred a melodia "Easter Parade" que, supostamente, é cantada por um homem para uma mulher, para, a seguir, percorrerem a fifth avenue em Nova Iorque no meio da parada da Páscoa, onde as mulheres exibem os seus complexos e exuberantes chapéus. John Frike, biógrafo da Judy, disse, no documentário sobre o filme, que as pessoas, ao verem o filme em 1948, quase se levantaram dos seus lugares por ficarem tão estupefactas com a bela visão da avenida cheia de gente. Ora, eu não fico muito entusiasmado com esse final. É bonito, maravilhoso: a melodia, a rua cheia de gente, Fred e Judy apaixonados... Mas eu queria ver mais, mais da avenida, outros ângulos de câmara. Descobri que o final do filme foi rodado em estúdio. Isto quer dizer que Fred e Judy não estão mesmo na fifth avenue da grande cidade mas num cenário. Daí não se poder mostrar muito mais. Eu penso que já desconfiava disso, até porque a maioria dos filmes da era clássica foram filmados em estúdio. Também me desilude o facto de não se ter feito um número mais elaborado com a cena final ao som de "Easter Parade". Vá, é um filme maravilhoso, mesmo assim, e com um final belo e feliz.



Fiquei surpreso ao saber que Louis B Mayer estava apaixonado por Ann Miller e que lhe pediu em casamento na altura ou pouco antes das gravações de Easter Parade. Ela não aceitou, sendo que, se não estou em erro, estava casada na altura. Ann faria outro filme de sucesso na MGM, On the Town no ano seguinte. Um musical ainda melhor, mas onde o seu encanto não é tão grande como em Easter Parade. Judy queria fazer papéis glamorosos e raramente teve essa oportunidade. Aqui, mais uma vez, ela é a jovem que não tem sofisticação mas tem bom coração. É um pouco injusto até porque Ann Miller não é muito mais elegante que Judy, além de que não é mais bela. Judy podia fazer o papel de Nadine em vez de Ann. É me estranho imaginar porque eu não estou habituado a ver Judy como a rapariga glamorosa mas se Ann fez, ela em princípio daria uma convincente Nadine.




Easter Parade foi um sucesso. É um filme feliz que reuniu Judy e Fred de uma maneira não tão feliz mas com resultados felizes. Gene Kelly seria, em princípio, o ator principal mas partiu uma clavícula a jogar basebol e foi substituído por Fred. Cyd Charisse seria Nadine mas magoou-se numa perna e foi Ann que ficou com o papel. Elenco não planeado mas que é um ponto positivo neste filme colorido do género colorido que é o musical.




Sem comentários:

Enviar um comentário