sexta-feira, 31 de julho de 2015

Elizaberth Taylor, olhos violetas

"A arrebatadora inglesa, Elizabeth Taylor (nascida em 1932), de cabelos negros e olhos verdes, foi uma das últimas estrelas a sair do sistema de estrelas de Hollywood. Aos 11 anos, a MGM fê-la assinar um contrato de 20 anos.
Depois de seu triunfo em National Velvet (1944), ela nunca olhou para trás.
Revelou os seus talentos dramáticos, ganhando dois Óscares, ao mesmo tempo que mantinha os colunistas de mexericos ocupados." (Bergan 2008, 332)

Este texto tem um "erro cromático". Os olhos de Elizabeth eram roxos ou violetas, não verdes



Elizabeth Taylor é daqueles casos em que a perfeição parece materializar-se da forma mais perfeita possível: Beleza, talento, personalidade, tudo misturado harmoniosamente numa das grandes damas do cinema. E, por estranho que pareça, não são fascinado por Taylor. Dos dois filmes que assiste com a estrela, "Um lugar ao Sol" e "Quem tem medo de Virginia Woolf?", gostei de ambos e, se no primeiro a beleza de Elizabeth se sobrepõe ao seu talento, no segundo a sua interpretação é soberba. E, por alguma razão, não consigo ficar fascinado por ela. Assisti, ainda, a "The Mirror's Crack'd" que não é nada de especial e, embora o desempenho da diva seja bom, a sua personagem não é cativante.


Elizabeth é, provavelmente, a mulher morena mais glamorosa do cinema, conseguindo mostrar que não precisava de pintar o cabelo de loiro (que na época era sinónimo de glamour, devido a estrelas como Lana Turner ou Marilyn Monroe) para ser elegantemente sensual. As sobrancelhas grossas também poderiam ser uma desvantagem, mas só lhe conferem personalidade. Um rosto perfeito.





Não é por ser algo raro, mas eu realmente acho olhos cor violeta ou azul escuro lindíssimos. Essa é a marca física de Elizabeth Taylor. Os seus olhos violetas são irresistíveis.












Elizabeth Taylor, assim como Judy Garland, tinha talento para conseguir passar da sua fase de atriz infantil e adolescente para adulta. Fê-lo, ganhou dois óscares, casou sete vezes, era possuidora de uma coleção poderosa de jóias, casou duas vezes com o mesmo homem. Fez tudo e tudo o que fez fez bem.













Citação retirada do livro "Cinema" de Ronald Bergn, de 2008 (o original é de 2006) e editado em Portugal pela Civilização

2 comentários:

  1. Elizabeth Taylor, Foi uma estrela única, e insubstituível!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É verdade. Quando escrevi este texto não havia visto alguns filmes importantes da atriz. Agora que vi Cat e Last summer, ótimos filmes, passei a gostar mais dela

      Eliminar